quarta-feira, 27 de outubro de 2010

rotina da cama




não chore, meu bem. ainda há primavera
mesmo que ela não cheire como de costume,
mesmo que não seja assim tão bela.

não ria, carinho, de descrença.
há mil caminhos ainda a seguir,
mesmo que seja antes do que se espera.

não me humilhes, paixão, por antigas quimeras.
só não há surpresa todo dia,
não há mais fartura nem miséria.

não se afaste, amor, dessa navalha
que floresce a gota pequenina de uma rosa
mesmo que não seja cedo, nem seja prosa.

3 comentários:

Sr. Personna disse...

Que vicio!

Luiza Jardim disse...

Adorei!

Rolando disse...

oi. tudo blz? estive por aqui. gostei. apareça por lá. abraços.